O que é uma alimentação saudável?


Todos nós já ouvimos falar que o lema de uma vida saudável é ter uma alimentação equilibrada e praticar exercício físico.

Depois de vários anos a tentar controlar o meu peso e a seguir diversas dietas que me permitissem atingir a estética do corpo ideal, cheguei à conclusão que afinal não é apenas uma questão de ser magra logo sou saudável, bonita e feliz. Pelo contrário, desejo que a minha relação com a comida seja um equilíbrio durável entre as necessidades fisiológicas do meu organismo, a minha mente e o modo de vida que quero ter.

Ou seja, comecei a questionar-me se não era possível continuar a ter uma alimentação que gosto de comer, sem implicar o aparecimento de doenças graves a longo prazo. Por outro lado, compreendi a importância que a alimentação pode ter para a minha saúde e, não estou a falar só uma questão de cortar nas gorduras e os açúcares, mas sim de poder ter a possibilidade de continuar a sentir-me elegante sem manifestar um ar pouco radiante, sem energia e constantemente vulnerável às viroses da época.

Actualmente, temos cada vez mais acesso à informação sobre as possíveis intolerâncias alimentares, as propriedades fantásticas ou nocivas dos alimentos sobre o nosso organismo e a importância e o cuidado que devemos ter com a produção e origem dos alimentos que compramos. Mas à medida que fui aprendendo mais sobre estes temas, confesso que tive uma enorme dificuldade em colocar estas sugestões em prática.

alimentação saudável

 

Por exemplo, ao contrário do que fomos habituados a ouvir, precisamos de consumir gorduras para o bem-estar do nosso organismo.

Claro que o aconselhável é optar por consumir as gorduras mais benéficas para a nossa saúde que são as monoinsaturadas e polinsaturadas, como o abacate e os frutos secos. Estas são essenciais para a manutenção da nossa actividade cerebral, regulação hormonal, protecção dos nossos órgãos vitais e a regeneração da nossa fabulosa pele. Pois é através das gorduras que absorvemos muitas das vitaminas (A, D, E e K) fundamentais para o nosso corpo e que só são solúveis em gordura.

Muito bem, posso e devo consumir gorduras “boas” em quantidades suficientes para a manutenção saudável do meu organismo, mas qual será a quantidade ideal para mim?

Tal como no caso das gorduras, fui tendo dúvidas de quais seriam as porções diárias indicadas nos restantes nutrientes e vitaminas para manter uma saúde equilibrada.

E a questão é que não é fácil definir e estandardizar essas quantidades!

A roda dos alimentos, a pirâmide alimentar e as tabelas nutricionais são, como as próprias indicam, apenas valores de referência que devem ser adaptados às necessidades energéticas de cada individuo. Ou seja, cada um de nós tem um consumo energético que depende da idade, sexo, actividade física e outros factores mais subjectivos como o estilo de vida, o nosso metabolismo, o maldito stress e as intolerâncias ou insuficiências digestivas que somos sujeitos a ter.

 

alimentação saudável

Talvez por isso é que não consegui manter ou seguir muitas das dietas a que me sujeitei, pois estas não tiveram em conta o meu estilo de vida, a capacidade do meu metabolismo em gastar e armazenar energia (kcal), a existência de alguma intolerância alimentar e outra causa muito importante na minha constante auto-sabotagem a dietas, que são os factores emocionais. Como por exemplo, a minha capacidade de auto-motivação, de resistir ao prazer imediato e sedativo que a comida processada nos dá em relação aos nossos problemas ou a nossa sensibilidade ao stress, são alguns desses sabotadores.

Face a esta situação, passei a deixar de dar tanta importância às calorias ingeridas e às dietas milagrosas e super restritivas. E defini uma filosofia sobre a minha alimentação, que é encontrar uma alimentação saudável que se adequa às necessidades nutricionais do meu organismo, às minhas exigências emocionais e aos valores de vida que quero ter.

Por isso, não percam o meu próximo artigo que abordará a segunda parte deste tema e,  aonde partilharei com mais detalhe alguns Factores e quantidades nutricionais a ter em conta na nossa alimentação.

E vocês? Têm alguma filosofia ou regras que acham importantes na vossa alimentação?

Partilhem aqui ou no Facebook.

Leave a comment

O seu endereço de email não será publicado.